segunda-feira, 23 de junho de 2014

Tem que ver isso aí dona Ruth...

Outro dia ainda, minha Mulher (sim, chamo seguidamente de minha Mulher, por mais machista que possa parecer, e outro dia explico o porque) começou a ler um que outro trecho do texto da Ruth Manus, sobre as mulheres criadas para ser tudo o que um homem não quer. Rimos, brincamos um pouco a respeito e logo deixamos pra lá.

Mas a enxurrada de compartilhamentos deste texto na minha timeline do Face continuava e conforme ia digerindo o material, resolvi regurgitar minha opinião de Homem aqui.

(para você que não leu o material ao que me refiro, aqui está o link).

"Às vezes me flagro imaginando um homem hipotético que descreva assim a mulher dos seus sonhos:

Ela tem que trabalhar e estudar muito, ter uma caixa de e-mails sempre lotada. Os pés devem ter calos e bolhas porque ela anda muito com sapatos de salto, pra lá e pra cá.

Ela deve ser independente e fazer o que ela bem entende com o próprio salário: comprar uma bolsa cara, doar para um projeto social, fazer uma viagem sozinha pelo leste europeu. Precisa dirigir bem e entender de imposto de renda.

Cozinhar? Não precisa! Tem um certo charme em errar até no arroz. Não precisa ser sarada, porque não dá tempo de fazer tudo o que ela faz e malhar.

Mas acima de tudo: ela tem que ser segura de si e não querer depender de mim, nem de ninguém.”

"...Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem. Nem mesmo parte dele..."

Já há uns oito anos atrás, acho que foi o Humberto Gessinger que disse: "O homem é um jipe, a mulher é um carro Fórmula 1"... Lembro que, já naquela época, concordava com essa afirmação dele. 

Sempre houveram os Homens que entendem que a Mulher é uma máquina refinada, desenvolvida para a  precisão, o detalhe. Cujo valor e capacidade são bastante superiores ao nosso. Que entenderam que, aquelas que quisessem, dominariam o mundo.

Bem como os homens buscam uma mulher submissa. Que viva em um seriado dos anos 60, profissão do lar e mãe... Diabos, que mais uma mulher quer que isso? Para se realizar ela não precisa apenas ter o filho, escrever o livro e plantar a árvore? Então, são livres para fazer isso... (desde que os dois últimos não atrasem a janta)

Talvez tenha conhecido e convivido apenas homens, nenhum Homem... Chato isso, dona Ruth, chato mesmo... Vou entrar em contato com o Sindicato para reportar esse problema da nossa categoria...

Sobre a Mulher de hoje curtir esportes, games e cerveja... Excelente, tenho uma dessas em casa e posso dizer... Gosta de futebol americano, como eu, prefere comprar um jogo pro kinect ao invés de uma panela nova e começou recentemente a beber cerveja comigo... Quer coisa melhor?

"Aí, a gente, com nossa camisa social que amassou no fim do dia, nossa bolsa pesada, celular apitando os 26 novos e-mails, amigas nos esperando para jantar, carro sem lavar, 4 reuniões marcadas para amanhã, se pergunta “que raio de cara vai me querer?”."

A vida é uma correria pra todo mundo hoje em dia Ruth, por incrível que pareça, não é exclusividade da Mulher bem resolvida... Não é você chegar com a camisa amassada, meio torta por causa da bolsa pesada, os apitos do celular, as amigas, o carro sujo ou as quatro reuniões do próximo dia que vão eliminar o interesse de um Homem em você... O que nos leva ao último ponto que queria comentar...

"...Vai ver que é por isso que estou solteira aqui, na luta."

Ruth, meu anjo... Você não está sozinha por que os homens não querem mulheres inteligentes, de personalidade e bem sucedidas... Você está sozinha por que acha que deveria ganhar o Nobel por ser bem resolvida... O que é o mínimo, hoje...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade