quarta-feira, 25 de julho de 2012

4 vidas em Gaia...

Aoshi, em um estado ainda muito prematuro do que podia se chamar de humano, voava pelos céus... A explosão no paiól de Janen o arremessou, ou o que sobrou dele, para o leste, em direção a floresta de Shamrock. Para saber o que aconteceu até aqui... Clique ali no botão "4 vidas em Gaia" na barra abaixo do título do blog...


Ressurreição


Aoshi perdeu completamente sua consciência quando seu corpo foi praticamente desintegrado na armadilha em que caiu algumas horas antes, mas graças a uma pequena partícula de seu sangue que ficou presa na espada negra que sempre carregava consigo... Um milagre estava em andamento.



Agora, Aoshi sentia sua consciência voltando a existir, enquanto sentia cada gota de sangue voltando a correr por seus braços e pernas ainda em formação.


Então começou a sentir dor, muita dor, a dor de seus ossos se formando e enrijecendo dentro dos braços, pernas, tronco e restante do corpo.


O processo de reconstituição total do corpo de Aoshi foi tão rápido que o sol sequer pareceu se mover no céu de Gaia.


Então Aoshi abriu os olhos e sentiu o vento batendo no seu rosto, não se aguentou e largou uma sonora gargalhada. Até que percebeu...


- Ah não...


Aoshi ainda estava em pleno voo, devido a explosão, cruzava o céu de Gaia como um trovão e via que estava começando a se aproximar do solo a uma incrível velocidade.


Podia ver a cadeia de montanhas no horizonte, a ideia de se chocar contra elas lhe lembrou da dor dos ossos se reconstituindo ainda há pouco.


Fechou os olhos, cruzou ambos os braços em frente ao rosto, mesmo sabendo que de nada adiantaria e disparou.


- Ai merda.


Passou perto, mas não acertou as rochas cobertas de neve. Antes mesmo que pudesse comemorar, viu que estava caindo em uma enorme floresta, próximo ao centro desta, e próximo a um descampado onde havia uma enorme cidade fortaleza.


- Isso vai doer tanto.


Aoshi atravessou a copa das árvores, depois, uma árvore imensa, atingiu, de raspão uma estranha criatura ao lado do que parecia ser um cadáver e se arrebentou completamente em uma rocha.



Aoshi sentia sua consciência voltando a existir, cada gota de sangue voltando a correr por seus braços e pernas ainda em formação. A dor de seus ossos se formando e enrijecendo dentro dos braços, pernas, tronco e restante do corpo, enfim, toda a dor que apenas alguns minutos antes havia sentido...


Com seus olhos recém "brotados" na fronte do seu crânio Aoshi viu um vulto a sua frente, uma criatura que lembrava uma figura feminina, coberta por um manto negro.


A criatura mantinha uma "mão" no ventre que despejava um caldo negro como óleo ao lado do corpo de Aoshi.


Então, um poderoso grito, e silêncio.


Aoshi pensou...


- Ah não... Meus tímpanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade