terça-feira, 10 de julho de 2012

4 vidas em Gaia...

Já havia duas horas que Vlad estava desacordado, Belerfon, sentado ao seu lado... Bebia... Para saber o que aconteceu até aqui... Clique ali no botão "4 vidas em Gaia" na barra abaixo do título do blog...

Belerofon calmamente abria a torneira do barril, o liquido amarelado corria preenchendo a enorme jarra de metal. A jarra tão grande que parecia um elmo de centurião não permanecia cheia por muito tempo, a medida que Belerofon tomava conta do seu conteúdo...

Esvaziava uma jarra de cerveja e olhava para Vlad...

Esvaziava outra... Olhava para Vlad...

Suspirava...

Exatamente na trigésima terceira jarra ele levantou... Foi até o corpo inerte do amigo... Olhou ele bem de perto... Soluçou... Deu uma longa risada e um tapa na cara do amigo desmaiado...

- Acorda Vlazer... Não... Espera... Vlad... Isso... Acorda... Vamo embora.

Viu que o amigo não esboçou qualquer reação... Abriu a tampa do barril e começou a chorar e soluçar.

- Desculpa, eu...

Pigarreou.

- Eu não queria fazer isso... Mas eu preciso...

Assoou o nariz.

- Arrrrg... Como eu odeio ser um bom amigo...

Deixou uma lágrima correr pelo rosto e então, de súbito, virou o conteúdo pela estrada... Não havia muito mais cerveja, mas Belerofon fez questão de chorar por cada gota derramada.

Caminhou até o corpo de Vlad, com apenas a mão direita o agarrou pela parte da frente da armadura leve e o jogou no barril, tapou e colocou nas costas, como uma mochila.

- S-Sanchez, é bom tu acordar... Disse Belerofon. - Por que se eu carregar um morto na conserva até a cidade eu juro que te acho no submundo e te mato de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade