sexta-feira, 20 de abril de 2012

E o assunto voltou a pauta...


Ninguém lembra quando o primeiro game violento foi proibido no país, poucos lembram do incidente no cinema mais de dez anos atrás onde uma pessoa com sérios problemas mentais disparou contra várias pessoas.

Todo gamer hardcore lembra que este alegou ter sido inspirado pelo game Duke Nukem 3d.

Obras de arte surgiram de lá pra cá, a exemplo de Shadow of Colossus e Okami. O primeiro em sua aparente simplicidade o segundo, uma verdadeira obra de arte interativa.

Mas para cada game desses que é lançado, um novo Call of Duty surge, ano após ano, criando polêmica desnecessária. Ou alguém mais acha completamente necessária a fase "No Russian" de Call of Duty Modern Warfare 2?

Para se ter uma ideia, The Last Guardian, continuação espiritual de Shadow of Colossus está em produção desde antes de 2009, enquanto temos um Call of Duty por ano. Criatividade amigos, não se renova completamente a cada 12 meses.

Mas é claro que os "midiáticos" não sabem de Last Guardian, Shadow of Colossus, Okami ou qualquer outra obra prima do mundo gamer... Agora questione sobre GTA (peço que não pergunte por Grand Theft Auto, pois não saberão do que se trata), Counter Strike, Duke Nukem e Doom.

O mesmo acontece com os políticos mais radicais, normalmente homofóbicos e retrogrados, são os primeiros falar sobre o políticamente correto enquanto usam roupas íntimas forradas de dinheiro público.

Esse cenário, amigos gamers, não vai mudar do dia pra noite. Essas pessoas que tanto batem no nosso hobby não sentirão aquele frio na espinha ao jogar um Silent Hill, não entenderão o por que de nos arrepiarmos a cada abertura de um novo Final Fantasy, jamais assoviarão a musica do Mario quando estiverem em um elevador (quem nunca)...

E francamente... Tenho pena desse pessoal...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade