quinta-feira, 7 de abril de 2011

Post de última hora...

Li ainda há pouco o que aconteceu em uma escola do Rio de Janeiro, e isso me fez pensar...
Mais de 10 crianças mortas por um... Não se pode chamar alguém assim de homem, nem sequer de ser humano... Um animal de 24 anos, que depois ainda teve a coragem de se matar em frente aos alunos sobreviventes, não deixando nem mesmo uma figura para ser odiada pelos pais das crianças vitimadas... Um direito que estes teriam...
O que leva um monstro desses a fazer algo do tipo, diversos profissionais já falaram sobre o tema, a conclusão mais divulgada pela mídia parece ser sempre a mesma... Os filmes ou games...
A violência no cinema tem sido tabu desde sempre, quem não lembra do massacre de Columbine nos EUA? Os jovens trajando sobretudos negros de couro, e usando armas semi-automáticas emulando cenas do filme Matrix. Um caso mais próximo a nossa realidade foi aquele do cinema que aconteceu há uns 10 anos atrás onde um jovem abriu fogo dentro de um cinema e depois alegou que havia sido influenciado pelo game Duke Nuke 3D.
No primeiro caso não é difícil rebater a crítica ao cinema, a cultura armamentista dos Estados Unidos sempre foi criticada pelo mundo afora, segundo a legislação norte americana o cidadão só NÃO pode ter armas automáticas e com calibre 7.62 ou superior (armas utilizadas pelo exército). Em qualquer loja norte americana, se você não tiver registro criminal, pode adquirir uma pistola usada pelo exército brasileiro e inacessível a civis tupiniquins... Então é barbada pra dois muleques, com QI inferior a 80 fazer merda né?
Já no segundo caso a coisa complica um pouco, podemos criticar de onde o imbecil tirou a arma, todavia, a essencia permanece a mesma, um jovem com problemas mentais que através de indicação do seu advogado, alegou que fora influenciado pelo video game.
Ou seja, mais uma vez a sociedade tirando a sua culpa do cartório... A educação, o sentido de certo ou errado, não vem apenas das influências externas, a maior parte dos educadores do mundo atribui esses desvios a presença atuante dos pais, que nestes dois casos, provavelmente não estiveram presentes, ou estiveram presentes e fizeram o tradicional "Faça o que eu digo, não faça o que eu faço"... Pais vindos de outra geração, que não esta de jovens "sem valor" como costumam ser chamados.
Se a juventude de hoje enfrenta problemas, quem é o culpado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade